Artigos, Relatos

Olho de Tandera – 10a!

Por João Ricardo – Atleta Quero Escalar

Johnny conhecendo a nova geração de vias no Cipó

Os escaladores sempre voltam da Serra do Cipó meio em transe. Pois é… Comigo ocorre o mesmo.
Desde o ano passado comecei a me programar para passar o carnaval de 2015 escalando no calcário mineiro junto a minha namorada. A hora chegou e, ao invés de ouvir marchinha, eu fiquei o feriado todo no meio do mato escalando.

O foco dessa viagem era tentar mandar uma via dura e aproveitar para voltar a escalar mais vias depois de um longo período só me dedicando aos boulders.
Assim, o melhor lugar para voltar às vias não poderia deixar de ser a Serra do Cipó, que além de referência nacional de escalada é um lugar que me rendeu cadenas marcantes, principalmente entre os anos de 2003 e 2005. Afinal, era onde eu passava minhas ferias, na época da juventude.

Lá foi onde eu mandei meu primeiro oitavo grau, Especialidade da Casa, em 2003; meu primeiro 9c, Herois da Resistência (nem existia a Super Herois da Resistência ainda!), em 2005, entre várias outras… Pasmem! Sim, o boulderista já foi um escalador de via. Tudo indicava que não poderia ser outro o lugar para a cadena do meu primeiro décimo!
A escolha do primeiro décimo foi de acordo com as características da via: boulderística (não posso negar), mas também houve um determinante por ser uma via muito bonita por si só!

A minha última cadena de via forte foi em janeiro de 2007, um 9c, em Caxias do Sul (RS), antecedida, em 15 dias, pelo meu primeiro V10, em Ubatuba (SP). É… depois do primeiro V10 não teve como… descambei para os boulders, apesar de algumas escaladinhas tímidas em vias!

Desde então eu fiquei naquele volta, não volta, volta, não volta… e cá estou, em 2015, com a cadena da via Olho de Tandera, 10a!

João Ricardo na Olho de Tandera, 10a

Foi muito gratificante! Não foi fácil. Aproveitei o embalo dos treinos que fiz de resistência para o Campeonato Brasileiro de escalada em dificuldade de 2014, fiz um retorno de aclimatação de vias no final do ano com uma temporadinha em São Bento do Sapucaí e Região e dei mais uma arrematada escalando na Pedreira do Garcia aqui em Campinas, entrando nos nonos disfarçados de décimo, para manter a humildade em ordem.
Eu não estava confiante nas primeiras tentativas na Olho de Tandera, mas depois de alguns dias tirando os betas com ajuda da Gabi com um movimento chave, o Arthur Gáspari, que sempre foi parceiro nas viagens anteriores para o Cipó, chegou para confirmar os betas bem diferentes do usual na via! rs… Após ele mandar o começo da via (o crux!) em flash, caiu a ficha que os meus betas inovadores poderiam render a cadena. Foi questão de paciência e saber administrar os dias de descanso para sair a via!

Embora mandar a linha tenha sido muito bom, outras coisas boas ocorreram nessa trip. Pude apresentar a Serra do Cipó para a Gabi, minha namorada. Apresentar o lugar de que todos sempre falam (principalmente eu) para uma pessoa que também está empolgada com escalada é quase como falar de um lugar com as melhores ondas para serem surfadas… Ela se saiu bem no Cipó, mandou seus primeiros sétimos, fez uma base boa de sexto e quinto e, ainda, continua meio em transe pelo lugar. Rs…

Gabriela Vescovi na Johnny Ricardo Quest

Só tenho que agradecer a todos que possibilitaram a concretização dessa temporada incrível!
Principalmente pela companhia da Gabi, do Xitão (Arthur), Lulu, que escalaram mais comigo nesses dias, o Patola e a Amanda, Marcinho e Lívia e mais uma galera enorme de amigos que estavam hospedados no Abrigo G3 (lugar muito bom para se ficar e muito hospitaleiro)! Não posso esquecer de agradecer o conquistador, Jean Ouriques e o escalador (que não sei quem é) que deixou a via inteira equipada todo o tempo que estive lá!

 

Agradeço as marcas que me apoiam, Loja Quero Escalar, 4Climb e Centro de Treinamento Ferragut, por confiarem no meu potencial e me motivarem a todo momento!
É isso… quem conhece o Cipó sabe que vai voltar alguma(s) vezes para lá, mas quem não conhece faça o favor de conhecer! Lugar incrível!

Agora vou tentar subir meu grau de boulder sem esquecer as vias, tentando levar as duas modalidades ao mesmo tempo… vai ser difícil… mas, o desafio está ai!

O segredo para o décimo grau – Carboidratos!

* João Ricardo da Costa Gonçalves é Atleta Quero Escalar desde Dezembro de 2014 e já estamos providenciando uma página com seu perfil!

Postagens relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.